segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

RELATO DO PARTO - MELISSA - DIA 19 DE OUTUBRO DE 2011

Olá queridos amigos e amigas que acompanham (ou melhor, acompanhavam-rsrsrs) esse blog!!  Peço milhões de desculpas pelo mega sumiço... mas desde que a Mel nasceu eu realmente não tive tempo, nem cabeça, para postar... até agora, pois ESTAMOS VOLTANDO!! rsrsrs

Devagarinho vou atualizando as novidades...

Para começar, como não podia deixar de ser, quero contar como foi meu parto. Infelizmente não conseguimos o tão sonhado parto natural, mas passamos por todo o processo, acredito que, na verdade, só não tive o parto vaginal, porque o restante do processo nós vivenciamos, e isso é o que considero mais importante, além do fato da Melissa ter nascido linda e saudável, sem nenhuma complicação.
Então, sem mais blá-blá-blá, vou contar (é graaande tá!!):

"Tudo começou na madrugada de domingo (dia 16/10) para segunda-feira (dia 17/10), pois caiu o tampão era mais ou menos 2h50. Fui ao banheiro e " desconfiei" que era isso; passei a madrugada indo ao banheiro fazer xixi e sentindo umas cóliquinhas, mas bem fraquinhas. Ah! Quando era mais ou menos 5h fomos à Maternidade porque começou a sangrar um pouco. Chegando lá a enfermeira conversou comigo, nem precisou examinar, ela disse que era isso mesmo e eu podia ir para a casa tranquila. Assim, fomos embora tranquilos.
O Lê foi trabalhar normalmente; se precisasse, aí eu ligaria. Na segunda-feira, dia 17/10, fiquei "vazando", pois saía um líquido transparente, sem cheiro. Eu nem pensava se era da bolsa, porque não tinha "estourado"... quando foi umas 3h da tarde, de repente vazou bastante, aí eu achei que era o rompimento da bolsa, mas não tinha certeza, pois me disseram que teria um cheiro peculiar, mto parecido com o de água sanitária, mas como não tinha cheiro nenhum, então fiquei na dúvida.
Às 17h30 tinha consulta com o Dr. Rogério, então resolvi aguardar, sem alarmes. Ah! De madrugada eu liguei para a Tatiana Nagliati, doula mto querida, para avisar que o processo havia começado; ela me tranquilizou, pq na verdade eu não estava nervosa, mas sim ansiosa. Bom, à tarde as cólicas se intensificaram um pouco, então eu já estava com contrações. No consultório elas ritmaram e achamos que a Mel poderia nascer naquela noite ou madrugada do dia 18. Mas isso não aconteceu...
À noite, próximo à madrugada, a Tati veio em casa, deu orientações, tranquilizou-nos e foi embora. A noite foi suportável, pois nem me lembro direito do que aconteceu... só sei que fiquei bastante tempo, com o Lê, contando as contrações para ver se ritmavam (até umas duas da manhã, mais ou menos), mas como não ritmaram, nós conseguimos dormir.
Na terça-feira, dia 18/10, o Lê não foi trabalhar, ficou comigo, pois aumentaram as contrações, em número e em dor. Durante o dia terminamos de arrumar as últimas coisas das malas para a maternidade. À tarde fomos novamente ao consultório do Dr. Rogério - tudo normal, mas só tinha dilatado 3 cm, então fomos para casa. As contrações já estavam fortes, mas suportáveis. Quando foi lá pela meia-noite (eu acho) começaram a ficar MUUUUITO intensas, doloridas, e então chamamos a Tati. A madrugada do dia 19/10 foi looooooooonga: tive contrações durante todo o tempo praticamente, mas sem ritmo, sem serem constantes. Estavam fortíssimas!! Fizemos de tudo, o Lê se manteve firme, dando todo o apoio do mundo! A Tati, ótima, fez de tudo também: massagens, orientações, exercícios, enfim, eu estive super bem amparada por todo o tempo. Lembro de ter usado a bola e ter colocado o lençol na porta para puxar. Também subi e desci escada, e o Lê e a Tati me fizeram comer sempre (damasco, panettone, suco). Quando foi quase de manhã resolvemos dar um passeio de carro para ver se ritmava, mas já levamos tudo caso fôssemos para a maternidade - o que aconteceu, porque eu já estava com muita dor. Na maternidade o quarto já estava pronto, com tudo a nossa espera. Lembro que fiquei bastante tempo na banqueta e na bola, pois era a única posição que doía menos. O Lê ficou o tempo todo comigo - LINDO! A Tati também ficou o tempo todo lá. Inclusive, agora que estou pensando, não sei o que (nem "se") eles almoçaram ou jantaram... Passei o dia todo com muita dor, mas infelizmente não ritmou e não dilatava, então resolvemos colocar ocitocina. Meu maior medo era não aguentar a dor, mas de acordo com o cardiotoco, as contrações já estavam com o máximo de intensidade, então pior não ficaria. E realmente, com a ocitocina as contrações vinham em intervalos de mais ou menos 2 minutos, e ficaram ritmadas, e a vantagem era que duravam apenas cerca de 40 segundos, o que para mim melhorou, porque até então elas estavam em intervalos irregulares e com duração de, mais ou menos, 2, 3 minutos. Passei o dia assim... à tarde fui para a banheira, mas chegou um momento em que eu não aguentava mais MEEEESMO, aí pedi analgesia. Bom, quando foi no fim da tarde não tinha dilatado quase nada... tiramos a ocitocina, depois colocamos de novo... enfim, no fim das contas nada resolveu. Parou nos 7 cm e não foi mais. Então, quando era mais ou menos 18h30, o Dr. Rogério passou no quarto, aí conversamos sobre as reais chances de conseguir o parto natural, e eu cheguei à conclusão de que não adiantava mais, também porque EU não aguentava mais. A Tati e meu marido me dera a maior força para fazer o que eu considerasse melhor... Assim, decidi pela cesárea, e fui feliz para a sal de cirurgia, pois realmente não conseguia mais, e era desanimador pensar em continuar e não dar certo por falta de dilatação. No quarto o atendimento da equipe de enfermagem foi nota 10!! Foram ótimas comigo, super atenciosas e fofas, me respeitaram, enfim, uma alegria!! Em compensação as do centro cirúrgico, foram grossas e carrancudas, bem diferente do tratamento que tive no quarto. Mas tudo bem, não desanimei, eu estava muito feliz para dar valor a isso. Quem deu anestesia foi o Dr. Bongiorno, o mesmo que fez a anestesia da curetagem em 2009. Coincidência??? Ele foi bem legal.
Bom, foi o maior alívio do mundo quando deu a anestesia... foi mesmo!!! rsrsrsrs... Para mim parece que foi logo em seguida, bem rapidamente, que a Mel nasceu!!! Foi MARAVILHOSO quando ouvi seu chorinho e o Dr. Rogério a trouxe para perto do meu rosto.... foi divino, emocionante, a maior alegria do mundo! Então ela foi para a pediatra, Dra. Aline, foi tratada e então ela foi comigo para o quarto. Chegando lá a Tati me ajudou a colocá-la para mamar (me ajudou não, colocou-a para mamar (rsrrssr)), fazendo a pega direitinho, e então a Mel mamou!! Fiquei super feliz!!

Bom pessoal, esse é meu relato, esse foi meu parto, que me trouxe o meu maior tesouro, a Melissa.

Não foi do jeito que eu esperava, mas foi incrível e maravilhoso. Ter passado por todo trabalho de parto, por cada etapa, foi fundamental para que eu não ficasse frustrada com o desfecho final. Sinceramente não fiquei frustrada; claro que se tivesse dado certo eu ficaria ainda mais feliz, mas como fiz tudo, tudo mesmo o que eu podia, ultrapassei e venci todos os meus limites, enfim, dei de mim totalmente, dei todo o meu melhor, então sinto-me plena, sinto-me Mãe, sinto que a Mel nasceu do jeito que tinha que nascer. Aprendi que não é possível termos o controle de tudo, e que nem sempre o resultado será o esperado, mesmo que sigamos a "receita" para isso. Percebi que todo o processo foi engrandecedor, completo e sublime, e que o fato de não ter finalizado do jeito esperado e sonhado não o tornou menos lindo e feliz, pelo contrário, fez-me acreditar, ainda mais, que não estamos aqui à toa, mas sim para crescermos e evoluirmos com as situações de nossa vida.
A todas mamães que tenham ficado tristes e frustradas por terem sido submetidas à (ne)cesárea, quero deixar  uma mensagem de amor: não se sintam assim, pois acima de tudo, nós realizamos o mais importante, o que realmente é sublime: tornamo-nos Mães!!!

2 comentários:

  1. Pri, que relato lindo! Quem sabe Um dia não tão próximo eu passe por isso!rsrrsrs Adorei...bjokas

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo Pri, parabéns e que Deus abençoe vcs bjus

    ResponderExcluir